Belltech Blog

TENDÊNCIAS DIGITAIS CHAVE PARA A INDÚSTRIA VAREJISTA APÓS A PANDEMIA

4 tendências em soluções tecnológicas

Com a chegada da pandemia, a indústria tecnológica encontra-se em uma fase de interação profunda, onde as empresas dedicadas no cliente final procuram entregar soluções para suas demandas, seja em excelência de serviço, na logística de envio, seja em uma rápida resposta para a busca de produtos ou serviços, entre outras. Neste espaço, podemos falar de inúmeras soluções para o serviço ao cliente, entre as que destacamos: soluções para o autoatendimento, como self checkout, quiosques, totens de auto-consulta; soluções para a automatização dos atendimentos dos clientes, como assistentes virtuais, IVRs conversacionais, sistemas de gravação, VOC, RPA e, por último, soluções para a análise e predição por meio de dados, como o monitoramento preditivo, big data, etc.

Graças à soma destas tecnologias, está procurando-se melhorar a interação com o consumidor final e rentabilizar os pontos de contato.

Neste sentido, apesar do auge das inovações digitais, não podemos obviar que o cliente ainda privilegia o fato de poder olhar, tocar, comparar, cheirar e experimentar os produtos; experiências que não podem ser substituídas no processo de compra através de uma tela.

A enorme quantidade de vendas que são realizadas atualmente no e-commerce, redes sociais, aplicativos, além das informações entregues no processo de transferência, proporcionam grande quantidade de informações sobre o consumidor, seus comportamentos, gostos, fluxos e disposição para a compra. Destarte e, através do uso do Data Mining/Big Data, é possível prever ações, ticket médio e preferências para conseguir melhorar o desempenho que a loja realiza pessoalmente para seus consumidores.

A renovação em termos de tendências digitais é, então, imprescindível para as empresas do presente, estabelecendo, assim, um futuro bem-sucedido.

A continuação, apresentamos 4 tendências digitais que consideramos imprescindíveis e cruciais nesta evolução tecnológica após a pandemia:

Lojas de experiências: para compreender o conceito, o blog Analítica de Retail explica-o da seguinte forma: “em palavras simples, a experiência varejista ou as lojas de experiências consistem nas vivencias do cliente desde que ele chega nas portas da loja e observa sua fachada, até cada um dos passos que dá no interior, o que vai gerando opiniões positivas ou negativas que serão determinantes na hora de decidir regressar e que, além disso, serão transmitidas para seus amigos e familiares”. Por exemplo, os grandes supermercados já têm disponibilizadas, em sua maioria, caixas de autoatendimento, experiência que ajuda na fidelização daqueles clientes que procuram autonomia tanto em suas compras quanto na administração de seus tempos, procurando obter cada vez uma melhor experiência como cliente, além de contribuir com grande fluência e rapidez na interação da compra.

Uma das mudanças que tem tido maior impacto é a multicanalidade. Conforme o blog digital da Telefônica, “Ting Big”, “o tsunami tecnológico tem mudado radicalmente a forma em que os consumidores nos relacionamos com as marcas. Uma das mudanças que tem impactado maiormente é a multicanalidade. No setor varejista, o ponto de venda compete cada vez mais com o e-commerce, o m-commerce ou com as redes sociais”.

Comércio unificado: um dos grandes desafios da Indústria Varejista é a convergência do físico com o virtual, quer dizer, o Phygital, que, segundo uma nota que publicamos neste mês de abril, o Phygital é uma das últimas tendências em UX, sendo um conceito do século XXI que une a experiência de uma mesma pessoa tanto em um ambiente físico quanto digital. A elevação de dois mundos que hoje está mais presente que nunca nas transações comerciais, devido a fatores sociais e económicos e potenciado pela modificação de comportamento a raiz da pandemia mundial.

Big Data in Store: graças aos grandes avanços tecnológicos, na atualidade são possíveis o armazenamento e a análise de uma quantidade inimaginável de dados, o que gera evidência histórica, predição de tendências e visibilidade de frequência, permitindo que as empresas possam criar planos estratégicos para o atendimento de seus clientes com uma maior efetividade e eficiência dos pontos de venda, tanto online quanto off-line, além de uma administração mais eficiente de seus fluxos de atendimento.

Robôs: ajudam na compra, no atendimento do usuário, no checkout, na resolução de problemáticas e na desobstrução dos canais de atendimento dos executivos para redistribuir mais eficientemente o serviço. Mais do que uma substituição do ser humano (conceito que também abordamos em uma de nossas publicações anteriores), o intuito desta tecnologia é o acompanhamento, deixando as tarefas de análise e de maior complexidade cognitiva para nós e construindo, assim, uma equipe de atendimento ao cliente robusta.

Em conclusão, a evolução digital é primordial e não é uma opção, especialmente considerando as mudanças na indústria motivadas por fatores de diversa natureza. Embora aqui foram apresentadas 4 tendências, sem dúvidas, existem muitas mais. Tudo depende de quão estratégico você quer ser, das soluções a ser respondidas e da história que você quer traçar. Na Belltech, apoiamos você no processo, acomodamo-nos a seus requerimentos e adoptamos nossas tecnologias segundo seus objetivos. Somos uma empresa que age apoiando e assessorando os projetos de transformação e desenvolvimento tecnológico.

Lo más popular